QUEM SOMOS

ARLEC – UM NASCIMENTO HISTÓRICO


      Antonio Florido demonstrava, há muito tempo, interesse em fundar uma Academia de Letras em nossa cidade. Havia começado com pesquisas sobre a História das Academias de Letras pelo Brasil. Era o ano de 2007.

       Seus interesses e sonhos se juntaram aos do amigo Saraiva e amadureceram a ideia, promovendo reuniões nos cafés em que se encontravam diariamente, no Praça Shopping e no Rio Preto Shopping Center.

       Saraiva, nesta época, fazia parte do setor de publicidade da TV TEM de nossa cidade e dele partiram as primeiras ideias mais concretas com objetivos viáveis para o Sodalício, entusiasmado com a ideia brilhante. Passou a ser assim a pessoa importante na materialização da Academia, uma vez que trabalhava como publicitário na Rede Globo e articulador de uma extensa rede e de grande relacionamento em nossa cidade. Lutou e correu atrás, sem medir esforços. Logo em seguida agregou-se ao grupo Antonio Carlos Del Nero, que também se envolveu no projeto e se interessou muito, passando a fazer parte do grupo dos idealistas.

       Convidaram então o escritor, historiador e editor Lelé Arantes para fazer parte da fundação. Lelé respondeu que gostaria muito de entrar, porém somente se os participantes fossem escolhidos por eleição.

       Particularmente fui convidado algumas vezes e em função de muitas atividades, especialmente por ter sido o idealizador e um dos fundadores da Academia Maçônica de Letras, não pude aceitar à época, porém na medida do possível, procurei colaborar. Apresentei as diretrizes e funcionamento da Academia Maçônica, seus Estatutos e Regimento Interno para o Del Nero no sentido de dar um norte para a elaboração do Estatuto da ARPLEC. Antonio Carlos Del Nero insistia em me convidar para fazer parte ativa do grupo e acabei cedendo ao honroso convite, de que tenho orgulho.

       O movimento começou a tomar vulto e, conforme Ata da 1ª Assembleia pró-fundação da Academia Rio-pretense de Letras e Cultura, no dia trinta e um de julho de 2008, às vinte horas no recinto do Rio Preto Shopping Center, na Avenida Faria Lima nº 6363, conforme registro no Oficial de Registro de Pessoa Jurídica registrado, digitalizado e microfilmado sob nº 19807, reuniram-se o Antonio Carlos Del Nero, Antonio Florido, Agostinho Brandi, João Roberto Saes e o publicitário Paulo Coelho Saraiva, tendo como objetivo precípuo, a fundação da Academia Rio-pretense de Letras e Cultura na Cidade de São José do Rio Preto.

      Em Assembleia constituída para melhor desenvolvimento da proposta foi eleito por aclamação o Dr. Antonio Carlos Del Nero para presidir os trabalhos e o Professor Antonio Florido para secretariar. Após vários debates, ficou decidido que:

- a elaboração do Estatuto social da Academia seria apresentada na assembleia seguinte pelos Senhores Antonio Carlos Del Nero e Paulo Coelho Saraiva;
- a data oficial de fundação da Academia seria dia 31 de julho de 2008;
- a frase latina “Verba Volante, Scripta Manent”, proposta pelo Professor Antonio Florido seria o lema caracterizador do ideário da Academia, tendo sido aprovada por unanimidade;
- O Presidente marcou então a assembleia seguinte para o dia sete de agosto de 2008, às vinte horas no mesmo local.

      Conforme Ata da 2ª Assembleia pró-fundação da Academia, cumprindo-se o disposto no momento oficial da fundação e posteriormente registrado conforme Oficial de Registro de Pessoa Jurídica, digitalizado e microfilmado sob nº 19.807, ficou documentado o que segue:

- Leitura, discussão, votação e aprovação da Ata anterior, realizada em 31/7/2008 a qual foi aprovada;
- Antonio Carlos Del Nero e o publicitário Paulo Coelho Saraiva, apresentaram um modelo de estatuto social para a Academia e cópias desta proposta foram distribuídas para cada um dos participantes;
- Após leitura e minuciosa análise, ponderação e discussão dos artigos, foi colocado em votação e aprovado o Estatuto, por unanimidade, cujos principais itens referem-se a:


A) Categorias de membros:
I – Acadêmicos;
II – Instituidores (membros natos);
III – Correspondentes;
IV – Honorários;
V – Beneméritos;
VI – Contribuintes.


B) especificação dos membros fundadores, portanto, considerados membros natos as seguintes pessoas então presentes e em ordem alfabética:

- Agostinho Brandi;
- Alberto Gabriel Bianchi;
- Antonio Carlos Del Nero;
- Antonio Florido;
- Cecília Demian Motta;
- Jaime Amaral e Silva
- Jayme Signorini;
- João Roberto Saes;
- Paulo Coelho Saraiva;
- Waldner José Lui;


C) Administração

      A Academia seria regida por um Conselho Diretor eleito pelo Conselho Superior, com mandato de quatro anos, podendo aquele ser reeleito por igual período e este com mandato de dois anos, também passível de reeleição por igual período. Teria ainda um Conselho Consultivo e um Conselho Fiscal com mandato de quatro anos, coincidente com o período do Conselho Diretor e que poderia ser reconduzido por igual período, total ou parcialmente.


D) Realizada a eleição para preencher os cargos previstos no Conselho Diretor (Diretoria Executiva) da Academia que também ocupariam os cargos de Membros Natos do Conselho Superior da Academia, chegou-se à seguinte composição e posse imediata:

Conselho Superior Membros natos
Presidente Antonio Carlos Del Nero
Primeiro Vice Presidente Paulo Coelho Saraiva
Segundo Vice Presidente Jayme Signorini
Terceiro Vice Presidente Antonio Florido
Primeira Secretária Cecilia Demian
Segundo Secretário Alberto Gabriel Biachi
Primeiro Tesoureiro João Roberto Saes
Segundo Tesoureiro Agostinho Brandi
Diretor de Relações Públicas Waldner José Lui
Diretor de Patrimônio Jaime Amaral e Silva



E) Definição da próxima assembleia para o dia 21 de agosto de 2008, nas dependências do Rio Preto Automóvel Clube, quando seriam escolhidos os primeiros Acadêmicos a compor o Conselho Superior da Academia.

       A primeira reunião ordinária do Conselho Superior foi realizada no dia 14 de outubro de 2008, às vinte horas na sede do IHGG/COMDEPHACT com sede na Rua Saldanha Marinho nº 3117, centro.

      Seu primeiro Presidente, Gentil Luís de Faria, deu início aos trabalhos explicando as normas para se eleger um Acadêmico e que os dois candidatos mais votados, estariam eleitos e aprovados para ocuparem, respectivamente duas das cadeiras da área de Letras e um candidato na área de Cultura. A indicação de candidatos a serem votados para o posto de Acadêmicos seria feita pelos Acadêmicos e pelos membros Natos.
Os primeiros eleitos na área de literatura foram Antonio Arantes Neto (Lelé Arantes), que passou a ocupar a cadeira nº 8 e o médico e escritor Wilson Daher, que assumiu a cadeira nº 9.

      Lelé Arantes, mantendo-se fiel ao pensamento que o norteava, reiterou sua posição anteriormente declarada e disse que fora convidado pelos Membros Fundadores da ARPLEC, negando-se a fazer parte da fundação, porque tinha um propósito de só pertencer a Academia, após ser eleito Acadêmico.

      A primeira eleita foi Maria Helena Coelho Curti.

      A primeira reunião Magna de Posse foi marcada para o dia 23 de outubro de 2008, às dezoito horas e trinta minutos na sede do IHGG/COMDEPHACT.

      No dia marcado para a posse a Acadêmica Maria Helena Coelho Curti não pode comparecer por estar em viagem pela Europa e foi marcada nova data para sua posse.

      No mesmo dia, ou seja, 14 de outubro de 2008, o Presidente em cerimônia singela e informal, porém significativa, empossou a Acadêmica Cecilia Demian que passou a ocupar a cadeira nº 6 e o Acadêmico Salvatore D`Onofre que passou a ocupar a cadeira nº 7, ambos na área de Literatura.

      O Presidente aproveitou aquela data e apresentou o quadro atualizado da ARPLEC (como era denominada a Academia), conforme Ata do dia 14 de outubro de 2008 do Conselho Superior, onde constam os nomes dos Acadêmicos já empossados e o número de suas respectivas cadeiras:

Cadeira nº 1 – Romildo Sant´Ana – Área de Letras
Cadeira nº 2 – Gentil Luís de Faria – Área de Letras
Cadeira nº 3 – Agostinho Brandi – Área de Letras
Cadeira nº 4 – Araguaí Silveira Garcia – Área de Cultura
Cadeira nº 5 – Fernando Marques Alves – Área de Cultura
Cadeira nº 6 – Cecília Demian – Área de Letras
Cadeira nº 7 - Salvatore D´Onofre – Área de Letras


      Conforme Ata da Segunda Reunião Ordinária do Conselho Superior, realizada no dia 10 de dezembro de 2008, às vinte horas, na Rua Saldanha Marinho, nº 3117, centro, presidida pelo Professor Gentil Luís de Faria e secretariada pelo Professor Antonio Florido, constava como Ordem do Dia a eleição de três Acadêmicos. Iniciou-se o processo de eleição, apresentando ao Colégio Eleitoral que estava composto pelos Acadêmicos Wilson Daher, Agostinho Brandi, Cecília Demian, Lelé Arantes e Gentil Luís de Faria uma lista contendo os nomes de dez candidatos para a área de Letras. Foram os mais votados e eleitos: na área de Cultura o artista Jocelino Soares e na área de letras, Domingos Marcolino Braile e Hygia Therezinha Calmon Ferreira.

       Conforme Ata datada de 15 de dezembro de 2008 em reunião extraordinária conjunta do Conselho Superior e Conselho Diretor, na Rua Saldanha Marinho nº 3117, centro, São José do Rio Preto, foi discutido o impasse criado pela inobservância de normas estatutárias praticadas pelo Conselho Superior na reunião realizada no dia 10 de dezembro de 2008, quando foram eleitos três Acadêmicos, os quais se tornariam os três novos imortais da ARPLEC. O Presidente do Conselho Diretor, Antonio Carlos Del Nero ponderou que da estrutura organizacional da ARPLEC e de seus estatutos aprovados e registrados constava que o Conselho Superior, responsável pela escolha e aprovação de novos Acadêmicos era composto de quarenta imortais e mais dez membros Natos, também com direito a voto, posto terem sido os dez Membros Natos a elegerem os primeiros Acadêmicos para formar o Conselho Superior, conforme disposto no Artigo 19 do Estatuto. Ponderou, ainda, que o Artigo 21 do Estatuto da ARPLEC determinava que o quórum para a votação é de 1/3 (um terço) dos membros com direito a voto o que não aconteceu nas eleições realizadas pelo Conselho Superior no dia 10 de dezembro de 2008. Após as considerações do Presidente do Conselho Diretor foi proposta a anulação da votação realizada na reunião do Conselho Diretor do dia 10 de dezembro de 2008. O Diretor do Conselho Superior, Professor Dr. Gentil Luís de Faria, usou da palavra e contestou os argumentos apresentados pelo Presidente do Conselho Diretor.

       A proposta para anulação das eleições foi submetida a votação e aprovada pela maioria. O Diretor do Conselho Superior, Gentil Luís de Faria, considerou a decisão do plenário, como ilegítima e arbitrária e decidiu desligar-se da ARPLEC, renunciando o seu cargo de Diretor do Conselho Superior e também renunciou a Cadeira nº 2 da área de Letras que ocupava por indicação dos Membros Natos.

      Em 14 de outubro de 2009, atendendo disposto do Capitulo VI (das Láureas e Premiações), Artigo 29 e seus complementos do Estatuto da ARLC registrado em 07 de agosto de 2008, foi apresentado e aprovado o “REGULAMENTO DO PRÊMIO DINORATH DO VALLE E PRÊMIO JOSÉ ANTONIO DA SILVA, INSTITUÍDOS PELA ACADEMIA RIO-PRETENSE DE LETRAS E CULTURA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO”, assinado por Dr. Antonio Carlos Del Nero, Presidente do Conselho Diretor e por Agostinho Brandi Presidente do Conselho Superior.

       Em 28 de janeiro de 2010, foi aprovado o “PRIMEIRO ENCONTRO DE CULTURA” patrocinado pela ARLC. O Acadêmico Romildo Sant´Ana, fez a exposição do programa e do calendário do Primeiro Seminário, com alterações feitas na Ata do Conselho Superior datada de três de fevereiro de 2010. Ao longo dos anos outros Membros foram indicados e aceitos e foi-se completando, pouco a pouco o quadro.

       Em Sessão Magna realizada em 18 de maio de 2010 foi feita a entrega dos prêmios DINORATH DO VALLE e JOSÉ ANTONIO DA SILVA, no recinto do Salão Nobre da ACIRP – Associação Comercial e Industrial de Rio Preto, situado na Rua Silva Jardim nº 1667, centro. O evento reuniu, além dos homenageados e dos Acadêmicos, parte da sociedade rio-pretense. A Sessão foi presidida pelo Acadêmico Antonio Carlos Del Nero que iniciou sua fala explicando que no dia dizendo que o Artigo 29 do Estatuto a ARLC prevê a outorga do Prêmio Dinorath do Valle ao melhor trabalho literário publicado no ano anterior, na cidade de São José do Rio Preto e o Prêmio José Antonio da Silva que distinguirá entre personalidades culturais, aquela que mais se destacou no ano anterior no cenário cultural de nossa cidade. Foi decidido por unanimidade que o Prêmio Dinorah do Valle, referente ao ano de 2009 será outorgado ao evento “ENCONTRO INTERNACIONAL DE MULHERES ESCRITORAS”, realizado em nossa cidade no ano de 2009 e que teve como Diretor Geral a Professora Izabel Ortega. Em relação ao Prêmio José Antonio da Silva, referente ao ano de 2009 será outorgado ao SESI, levando em consideração a realização do “TEATRO WALDEMAR DE OLIVEIRA VERDI”, inaugurado em seis de novembro de, cujo espaço abriga o “NÚCLEO DE ARTES CÊNICAS” do SESI de São José do Rio Preto. O Professor Romildo Sant´Ana fez a entrega do Prêmio Dinorah do Valle à Professora Izabel Ortega.

       O Presidente da ACADEMIA, Antonio Carlos Del Nero, fez a entrega do Prêmio José Antonio da Silva ao Presidente da FIESP, Dr. Paulo Skaff.
       Conforme Ata datada de 14 de julho de 2010 foi aprovado o SEGUNDO SEMINÁRIO DE CULTURA DA ARLC. Foi aprovada a data de 19 de agosto a 18 de novembro de 2010 para a abertura do SEGUNDO SEMINÁRIO DE CULTURA que foi normatizado e elaborada a lista dos palestrantes.
Conforme Ata da 11ª Reunião Ordinária do dia 26 de janeiro de 2011 foi aprovada a realização do Terceiro Seminário de Cultura da ARLC que foi realizado no mês de abril de 2011 com palestras quinzenais proferidas pelos Acadêmicos.

       Em 20 de agosto de 2016 foi aprovado o novo Estatuto com alterações devidamente discutidas e aprovadas em Assembleia com as novas categorias. Foi então registrado, digitalizado e microfilmado no Oficial do Registro Civil de Pessoa Jurídica sob nº 35.203 conforme segue:


I- Acadêmicos Vitalícios Eméritos;
II- Acadêmicos;
III- Correspondente;
IV- Honorários;
V- Membros Eméritos;
VI- Beneméritos;
VII- Contribuintes.

O número de Membros ficou limitado a 45 pessoas.

A denominação ARPLEC ou ARLC passou a ser ARLEC.

Em 28 de outubro de 2016 foi eleita a nova Diretoria:


- Presidente: Rosalie Gallo y Sanches;
- Primeiro Vice Presidente: José Luiz Balthazar Jacob;
- Segundo Vice Presidente: Wilson Daher;
- Primeiro Secretário: Alberto Gabriel Bianchi;
- Segunda Secretária: Maria Helena Coelho Curti;
- Primeiro Tesoureiro: Jayme Signorini;
- Segundo Tesoureiro: Waldner Jose Lui;
- Diretor Cultural: Araguaí Silveira Garcia;
- Diretor de Relações Públicas: Cecilia Demian Motta
- Diretor de Patrimônio: Antonio Arantes Neto (Lelé);
- Conselheira Fiscal: Nilce Apparecida Lodi;
- Conselheiro Fiscal: Antonio Florido;
- Conselheiro Fiscal Suplente: Jocelino Soares;
- Conselheira Fiscal Suplente: Vera Márcia P. Milanesi.


       Durante a gestão de Rosalie Gallo y Sanches, foi criado o Brasão da Academia conforme Ata nº 36, idealizado pelo Acadêmico Alberto Gabriel Bianchi, sendo aprovado por unanimidade. O Acadêmico Antonio Florido solicitou que fosse colocando como capa da Revista Capiiuara. A Presidente informou que a próxima revista terá como capa a caricatura do Acadêmico Carlos Daghlian. A outra terá uma obra da Acadêmica Maria Helena Curti e depois ficou aprovado o Brasão de Aramas da ACADEMIA. Ainda pelo mesmo Acadêmico a Bandeira da ARLEC. Foi criado, ainda, o Fardão para os Acadêmicos que fez sua estreia no dia 2 de agosto de 2018. Todos igualmente uniformizados.

       Após intensas atividades incluindo-se a comemoração histórica em cerimônia de gala, enriquecida com apresentações musicais de artistas internacionais, a ARLEC entregou os diplomas de posse do cargo a seus integrantes entre escritores, aristas plásticos, cientistas, teatrólogos, jornalistas e fomentadores da arte e cultura. Foi realizada no dia 29 de julho de 2017, no Teatro Municipal Humberto Sinibaldi Neto, comemorando os nove anos de fundação da Academia.

       Foi uma bela apresentação que encheu os ares do Municipal antes da entrega dos diplomas pela professora Miriam Shaw, assessora da Secretaria Municipal de Cultura, representando o Secretário Pedro Ganga. Em conjunto com o maestro Gilmar de Assis, os músicos italianos Claudio Colmanet e Pio Sagrillo (gaitista), além de outros da Orquestra Sinfônica de Rio Preto, ofereceram um repertório eclético com músicas eruditas e outras mais popularizadas.

       Música, consagração, reconhecimento foram a tônica da solenidade, que começou com o discurso de boas-vindas da presidente Rosalie Gallo. Segundo a jornalista Cecilia Demian em matéria publicada na Revista Capiiuara, Edição 3 – janeiro/junho de 2018.


       Rosalie Gallo aproveitou a oportunidade para convidar a todos os Acadêmicos e a população em geral para participarem do nosso grande evento em comemoração aos dez anos de existência da Academia Rio-pretense de Letras e Cultura e seu grande trabalho perante a comunidade rio-pretense

       No dia 02 de agosto de 2018 com o Teatro Municipal Humberto Sinibaldi Neto lotado para a comemoração dos dez anos de existência da Academia e seu grande trabalho perante a comunidade tivemos uma noite memorável. Todos os Acadêmicos engalanados, com seu fardão e a medalha Acadêmica no peito com a majestosa apresentação do Concerto com o Grupo italiano “I Cameristi Veneti”, acompanhado de músicos brasileiros e participação especial de Araceli Chacon, com o patrocínio do Instituto italiano de cultura de São Paulo.

       Mereceu destaque no “The Journal”, nº 1282 de 10 a 16 de agosto de 2018 – ANO XXIV, do Ilustre Acadêmico Waldner Lui que assim descreveu o grande evento: “A pulsante ARLEC – Academia Rio-pretense de Letras e Cultura, cuja identidade nasce com o ato literário e artístico e que através de seus membros, chamados “imortais” – cujos escritos e obras de artes, são fornecedores de caudalosos conteúdos contra o moralismos canhestro, contra o discurso de ódio reprodutor de preconceitos, empobrecedor dos sentidos e das relações sociais – está comemorando este ano, com uma estrada trilhada com glórias, dez anos de existência. Estabelecendo uma relação afetiva e um diálogo fascinante com a cultura, os acadêmicos fazem soprar uma aragem de frescor na agenda artística e cultural de Rio Preto, contabilizando seja pela literatura, pela música, pelas artes plásticas, um enriquecida história. Sob a presidência de Rosalie Gallo y Sanches, a ARLEC reuniu-se com seus membros no Teatro Municipal, para uma solenidade que teve também a apresentação artística de músicos italianos. Alguns dias depois, realizou um charmoso jantar à luz de velas, com a deliciosa Combo Jazz Orchestra, no Harmonia Tênis Clube, para encerrar a comemoração, que contou com a organização dos acadêmicos Maria Helena Curti, Araguaí Garcia e a própria presidente”.

       No dia 06 de agosto de 2018, segunda-feira, realizamos um magnifico jantar de confraternização pelo aniversário no Harmonia Tênis Clube. Finda a gestão, foi feita eleição para a nova gestão que passou a ser a seguinte:

- Presidente: Alberto Gabriel Bianchi;
- Primeiro Vice Presidente: Rosalie Gallo y Sanches;
- Segundo Vice Presidente: José Luiz Balthazar Jacob;
- Primeira Secretária: Loreni Fernandes Gutierrez;
- Segunda Secretária: Maria Helena Coelho Curti;
- Primeiro Tesoureiro: Edvaldo Jacomelli;
- Segundo Tesoureiro: Antonio Florido;
- Diretor Cultural: Araguaí Silveira Garcia;
- Diretora de Relações Públicas;
- Diretor de Patrimônio: Antonio Arantes Neto (Lelé);
- Conselheira Fiscal: Norma Gonzales Vilar;
- Conselheira Fiscal: Nilce Apparecida Lodi;
- Conselheiro Fiscal: Sérgio Vicente Motta;
- Conselheiro Fiscal Suplente: Jocelino Soares;
- Conselheiro Fiscal Suplente: Vera Márcia P. Milanesi;
- Conselheira Fiscal Suplente: Nídia Puig V. Tezine.

E a ARLEC segue em frente, viva, fazendo sua História.
E que história!

Setembro de 2019
Alberto Gabriel Bianchi – cadeira nº 44

ONDE ESTAMOS

Centro Cultural Professor Daud Jorge Simão
Praça Jornalista Leonardo Gomes, 01 - Centro
BIBLIOTECA MUNICIPAL - São José do Rio Preto - SP

E-MAIL: arlecriopreto@gmail.com